Provas Globalizantes: Transformando o ensino através da inteligência com dados

O que são Provas Globalizantes?

O Projeto Provas Globalizantes é uma parceria entre a Rede Marista de Colégios com a Big Brain Education e Microsoft. O Objetivo do projeto é a verificação da aprendizagem dos estudantes, levando em conta que o acompanhamento deve ser feito da rede como um todo. A Rede Marista de Colégios conta com 19 Colégios, localizados em São Paulo, Santa Catarina, Paraná, Goiás e Distrito Federal.

Viviane Flores, Diretora Educacional da RMC, explica que o projeto abrange resultados, desempenho dos estudantes e com relação a toda a proposta pedagógica desenvolvida pelos colégios. “É muito interessante um projeto que auxilie no ajuste dos processos educacionais em rede, o Marista terá disponível um elemento avaliativo único, constituído também com a participação das escolas, mas fundamentalmente construído dentro da Diretoria Executiva”, explica.

Com isso, foi operacionalizado todo o departamento para que ele pudesse atender essa expectativa da criação desses objetos de avaliação.

 

Os desafios

 

Desenvolver os sistemas e fazer com que eles se relacionassem foi, na opinião da Gerente de Tecnologia, Caroline Serqueira, o principal desafio de todo o projeto. “Desde o processo de gestão, como produção e qualidade das avaliações, até o desempenho final dos nossos estudantes. E principalmente, como essa tecnologia poderia nos ajudar a identificar as necessidades individuais e coletivas. Isto, por colégio, por série, por turma e por componente curricular,” explica.

Para resolver esse grande desafio, a Rede Marista de Colégios buscou a expertise com as tecnologias da Microsoft que a Big Brain possui. Ronei Pasquetto, diretor de inovação da Big Brain, afirma que através da aplicação das ferramentas corretas, personalizar o Office 365 e estruturar os dados dentro de dashboards no Power Bi foram pontos muito importantes no projeto. “Algumas pesquisas adicionais foram feitas e foram criados componentes adicionais para criar uma experiencia intuitiva. Para que professores, coordenadores e a gestão pudessem utilizar de maneira mais interessante todo o ferramental produzido.”

 

Porque a Microsoft?

 

A Gerente de tecnologia afirma que foram levados em conta alguns fatores na hora de decidir qual ferramenta seria utilizada:

– Segurança

Pois o processo lidaria com as informações de todas as avaliações da Rede de Colégios Maristas. Uma vez que alguma informação fosse comprometida, poderia colocar em risco todo o trabalho desenvolvido. “O trafego de informações é feito em um ambiente seguro e em uma linguagem muito acessível durante todo o processo de avaliação final feito pelos professores,” afirma Caroline.

– Linguagem

Aqueles que participaram do processo de elaboração das provas foram professores, por isso, o sistema deveria ser intuitivo e acessível para que todos pudessem colaborar e trabalhar em equipe. Para isso, foi desenvolvido um ambiente no Sharepoint Online para o projeto, “Esta primeira fase, feita na diretoria da Rede, é distribuída para avaliação dos colégios para que possam contribuir na construção. Todo esse processo, é feito por meio de Sharepoint tanto internamente quanto com nosso fornecedor externo que faz toda a revisão.”
Ou seja, com as ferramentas da Microsoft o trafego de informações é feito em um ambiente seguro e em uma linguagem muito acessível durante todo o processo de avaliação final feito pelos professores.

Impacto no Ensino:

As provas globalizantes atingem diretamente o ensino, como relata a consultora do componente curricular de língua portuguesa, Daiane Oliveira, “Acredito que que existem várias vantagens neste processo. Uma interface mais intuitiva e organizada, que permite a análise de detalhes de cada dado mensurado.”

Para Wilton Barbosa, Professor de Física, temos por meio do Provas Globalizantes avaliações bem mais qualificadas. A partir disso, geramos uma sequência de resultados melhores. Consequentemente, com um banco de dados com os resultados dos nossos alunos, conseguimos direcionar o processo educacional. Fortalecendo aquilo que apareceu como ponto forte, e corrigindo aquilo que aparece como ponto fraco.

 

Assista o vídeo sobre o case:

WhatsApp chat