Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e Segurança na Informação

 em Big Brain Education, Gestão Escolar

O QUE É SEGURANÇA E PRIVACIDADE? 

 Segurança é a percepção de estar protegido de riscos, perigos ou perdas. É um conjunto de medidas que faz com que nos sintamos mais seguros. 

Privacidade é o direito da reserva de informações pessoais e da própria vida pessoal, relacionado a viver de forma discreta, anônima (ainda que algumas pessoas abram mão de seu anonimato). 

Se a segurança envolve a percepção de proteção e a privacidade é a reserva de informações, quando pensamos em internet precisamos nos preocupar muito mais com essas informações e como estão expostas, por conta dessa reflexão foi necessário a criação de uma lei específica para nos proteger a Lei Geral de Proteção de Dados 

Vamos falar disso?  

LEI GERAL DE PROTEÇÃO DE DADOS (LGPD) 

 Quando você compartilha dados na internet, você tem pensado na sua segurança, na segurança de seus filhos, dos seus alunos?  

Você lê os termos de uso daquela rede social que acabou de se cadastrar? Muito difícil, né? 

Nesse cenário, onde quase nunca lemos termos ou compreendemos o que realmente está escrito e quais dados serão capturados, foi sancionada em 2018 e entra em vigor agosto de 2020 a Lei Geral de Proteção de Dados, que nada mais é do que uma regulamentação para que sua segurança e privacidade continue te mantendo reservado. 

Em um mundo cada dia mais conectado, essa é uma preocupação global, nesse momento muitas empresas estão correndo para se adaptar para proteger os seus dados, começou a se pensar muito mais nisso devido ao vazamento de dados de algumas grandes empresas como Facebook e Google, que impactou e prejudicou milhares de pessoas. 

Já existe o Marco Civil da Internet, que é a lei que regula o uso da internet no Brasil, mas para garantir a segurança são necessários que sejam criados mecanismos para essas informações.  

O primeiro passo é criar política de privacidade, onde a empresa tem obrigação de informar com clareza quais os tipos de dados que serão coletados e como serão utilizados. 

A prioridade dessas empresas deve ser o sigilo da informação e o investimento em tecnologias mais modernas e seguras é o que dará credibilidade para o público e a democratização do uso da tecnologia. 

Com o mundo digital cada vez mais exposto a crimes cibernéticos, muito antes ser levantado essa necessidade mais esclarecimentos sobre segurança da informação, a Microsoft já vem desenvolvendo ambientes mais seguros e será uma das poucas empresas que não sofrerá para se adaptar com a Lei.  

Desde 2016 a empresa vem criando, junto de parceiros, formas mais segurança de compartilhamento de dados, uma dessas formas é a nuvem (Azure), que é como uma fortaleza, onde o provedor se mantém armado e consequentemente menos exposto aos riscos, e pode ser usado desde empresas a instituições de ensino, com isso, todos ganham com flexibilidade e economia. 

Adequar-se a essa lei, para nos mantermos seguros, além de uma necessidade é uma obrigação, pois assim, o Brasil ganhará muito mais autoridade internacional, e isso se dá para pequenas, médias ou grandes empresas, todos precisarão se adaptar, com respeito, seriedade e clareza. 

COMO FUNCIONA E COMO IMPLANTAR A LEI DE PROTEÇÃO DE DADOS?  

 Essa lei funciona sobre alguns pontos chaves para que você e sua instituição consiga implantar sem maiores problemas e visa proteger as pessoas, independentemente se a empresa é brasileira ou não é necessário a adaptação Alguns conceitos que precisam ser observados:  

  • DADOS: 

Dados pessoais: É qualquer informação relativa à pessoa que pode ser identificada, como:  

Nome; 

CPF; 

RG; 

CNH; 

Telefones,  

Endereços;  

Etc. 

Dado pessoal sensível:

São informações específicas sobre a pessoa como:

n. de IP;

Geo localização; 

Opção sexual; 

Sites acessados; 

Partido político.  

Banco de dados: Local onde fica armazenado as informações pessoais. 

  • RESPONSABILIDADE SOBRE DADOS: 

A responsabilidade por esses dados é da empresa que faz a coleta, porém se houver uma terceirizada a responsabilidade não é apenas da empresa em que o cliente autorizou o uso, ou seja, todos possuem o mesmo grau de responsabilidade.  

  • MELHORES PRÁTICAS 

A melhor forma de aumentar a segurança é melhorando os processos de coleta de dados, armazenamento em locais seguros, através de criptografia, mas também aumentando a confiança do cliente que fornece esses dados, além da transparência na hora de informar para que esses dados serão utilizados.  

 Para implantar a LGPD, a melhor forma é contratando um profissional para se encarregar de cuidar desses dados, o responsável por modelar os processos da empresa para que atenda a lei.  E a melhor forma de se adequar é:  

  • Conscientização da empresa; 
  • Criação de um departamento de LGPD; 
  • Identificação de possíveis riscos; 
  • Política para mitigar erros 
  • Revisão dos contratos oferecidos. 

Seguindo esses requisitos, temos certeza que a implantação dessa lei ficará muito mais tranquila para você e sua instituição. Não esqueça que o principal objetivo dessa da LGPD é aumentar a segurança e a transparência das empresas. 

  

Ainda tem dúvidas? Conta aqui para a gente!

Nos acompanhe nas redes sociais:

Postagens Recentes

Deixe um Comentário

WhatsApp chat